quinta-feira, 19 de março de 2015

O PSDB NÃO É MAIS O GRANDE ADVERSÁRIO. CONHEÇA O NOVO ADVERSÁRIO DA ESQUERDA.

Se você acha que o PSDB está por traz das manifestações do último domingo, está errado. Caso acredite que a mídia organizou os protestos, vai por mim que não é por aí; apesar da Veja ter deixado explícito o desejo de impeachment, e a Globo ter deixado implícito, cobrindo e exaltando os protestos desde cedo no domingo. Enganam-se aqueles que acreditam que o PSDB usa a mídia, pelo contrário, a mídia usa o PSDB nos últimos 20 anos. Mas a mídia é assim não por obra da natureza, ela é instrumento de poder de uma elite econômica. Nesse cenário os tucanos são úteis, já que é o maior partido de oposição ao modelo progressista, mas é descartável, e será nos próximos anos, já que a sigla não é aquilo que o poder econômico sonha.
Se você acha que o PSDB está por traz das manifestações do último domingo, está errado. Caso acredite que a mídia organizou os protestos, vai por mim que não é por aí; apesar da Veja ter deixado explícito o desejo de impeachment, e a Globo ter deixado implícito, cobrindo e exaltando os protestos desde cedo no domingo.
Enganam-se aqueles que acreditam que o PSDB usa a mídia, pelo contrário, a mídia usa o PSDB nos últimos 20 anos. Mas a mídia é assim não por obra da natureza, ela é instrumento de poder de uma elite econômica. Nesse cenário os tucanos são úteis, já que é o maior partido de oposição ao modelo progressista, mas é descartável, e será nos próximos anos, já que a sigla não é aquilo que o poder econômico sonha.
Na sua origem, e já escrevi aqui, o PSDB é um partido Social Democrata ou Social Liberal, entretanto, pelas circunstancias políticas da Nova República, os tucanos se aliaram aos setores mais conservadores da sociedade, e passaram a liderar um conjunto de propostas neoliberais, além de absorver pautas absolutamente retrógradas. Vale lembrar que o projeto da “Cura Gay”, “Kit Macho” e da redução da maioridade penal são de políticos do partido.
Mas a frouxidão e, muitas vezes, a indecisão ideológica do PSDB fizeram com que a elite, aos poucos, jogasse os tucanos para escanteio. Como o DEM (antigo PFL) está desmoralizado por conta dos coronéis da ditadura, apesar da compatibilidade ideológica, o poder econômico se viu obrigado a criar uma nova estratégia.
Dentre os organizadores das manifestações o Vem Pra Rua é quase insignificante nesse processo, apesar de ter mobilizado artistas para fazer a publicidade do ato. Mas o Movimento Brasil Livre merece toda a atenção do PT e das esquerdas de modo geral.
Primeiramente, recordarei uma história que ocorreu comigo no início do ano passado. Sempre fui e me declarei de esquerda, e isso de alguma forma chama a atenção de alguns. Tenho uma amiga que fazia parte de um movimento chamado Estudantes Pela Liberdade (EPL). Certo dia ela me convidou para ir a uma reunião do grupo para debater o ponto de vista contrário. Fui, e quando me deparei naquele recinto, de cara me veio duas sensações, a de ser agredido ideologicamente, e que aquele movimento seria a real oposição no Brasil.
Eles têm uma interpretação distorcida de tudo, principalmente do filósofo Karl Marx, chegam em um nível absurdo de agressividade, dizendo que você é idiota por acreditar em uma corrente divergente, desmerecem suas referências, entendem pela metade sua argumentação, saem gritando aos quatro ventos que seus argumentos são irrefutáveis, usam dados sem contexto, interrompem enquanto você está falando, e isso sem contar no caráter moralista da conversa. Tem como seus expoentes midiáticos os escritores Rodrigo Constantino (Veja e O Globo) e Olavo de Carvalho. Confesso que ao ler seus artigos e livros, nunca vi tanta bobagem.
Entretanto, eles têm uma habilidade retórica que mistura agressividade com caricatura, que faz com que a argumentação seja simples (sendo simplista), objetiva e convincente. E mais! Equivocam-se aqueles que acham que o discurso é impopular. O brasileiro, inclusive o mais pobre, em linhas gerais tem um pensamento conservador. A maioria é a favor da pena de morte, contra o casamento gay, contra os direitos das mulheres e mais… acham que Estado e políticas sociais só atrapalham.
Talvez a única coisa que a maioria preserve de fato, sejam as conquistas trabalhistas. Mas pergunte a qualquer cidadão, se ele prefere mais impostos e mais políticas sociais, ou menos impostos e menos políticas sociais. Quando esse paradigma passa para a classe média, aí o discurso liberal é campeão.
Voltando a EPL e ao Movimento Brasil Livre, seus membros seguem a linha de seus “pensadores” no Brasil. Eles têm uma agressividade no discurso que reproduz nas atitudes de seus manifestantes, como mostrei aqui.
Mas vamos conhecer mais desses dois movimentos. Acreditem, quem comanda a escala golpista contra a Dilma, e quem organizou de maneira muito competente (devo confessar) os protestos que levaram muita gente a Paulista e em todo o Brasil foram: Renan Santos (30) e Kim Kataguiri (19. Sim! 19 anos). Mas óbvio que há adultos por traz.
O EPL, assim com MBL, tem por traz o Instituto Liberal. Esse instituto organiza anualmente o Fórum da Liberdade em Porto Alegre, mesma cidade que ocorre o Fórum Social Mundial. Os principais patrocinadores do fórum são Itaú, Votorantim e Souza Cruz. O Instituto Liberal é presidido pelo mesmo articulista da Veja e referência deles, o economista Rodrigo Constantino. Ele também é membro fundador do Instituto Millenium, que tem como seus colaboradores o Grupo Abril, Estado de São Paulo e o Grupo RBS (afiliada da Rede Globo no RS).
No início do ano passado, esse grupo de estudantes, junto a membros do Instituto Liberal, protocolaram no TSE o pedido de criação de um partido, que será chamado de NOVO. A sigla se encontra no aguardo de registro do TSE. O NOVO já tem um presidente, será João Dionisio Amoêdo, que foi presidente do Citbank e do BBA (hoje Itaú BBA).
Diferentemente do PSDB, o NOVO tem posição, são liberais, ou seja, defendem a menor participação possível do estado. Novamente, erram aqueles que acham que o partido nasce para ser mais um entre tantos. Eles têm apoio na mídia, como puderam ver os apoios que recebem através dos institutos que tem na sociedade civil, e tem suporte financeiro, já que estão envolvidos muitos dos principais empresários brasileiros. Além disso, a sigla tem quase 800 mil seguidores no facebook, é o terceiro na rede social, perdendo apenas para PSDB e PT. E somado a tudo isso, o Movimento Brasil Livre, claramente ligado ao partido, tinha o principal caminhão de som nas manifestações na Paulista, em frente ao MASP.
O bonde está passando, e a esquerda, em especial o PT, parece não ter acordado. Ao ir para cima do PSDB, como organizadores do protesto, cometem um erro de interpretação, análise e investigação. Não é possível que o maior partido do Brasil, que tem uma estrutura gigantesca, governe com apoio popular, sem perceber que o adversário agora é outro.
Fonte: Site Raiz da Questão

Nenhum comentário:

Postar um comentário