sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Vítima de estupro se diz constrangida com boletim de ocorrência

Uma mulher de 34 anos que é vendedora de roupas no bairro Lagoinha, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, foi estuprada por dez homens na madrugada de segunda-feira, 17, entre os quais estavam vários menores de idade.
Segundo o jornal Extra, a vítima sofre sucessivos estupros coletivos há 4 anos. Só que, dessa vez, o grupo de criminosos foi surpreendido por policiais militares na hora da agressão. Oito homens conseguiram fugir, mas dois foram apreendidos.

No registro de ocorrência, o relato do crime se mostra ainda mais chocante. “Só gritou porque eles empurraram um galho de árvore em sua bunda”; “obrigando a pagar boquete triplo”; “não usaram camisinha, no pelo” são alguns dos trechos do boletim.
Segundo o jornal Extra, a vítima sofre sucessivos estupros coletivos há 4 anos. Só que, dessa vez, o grupo de criminosos foi surpreendido por policiais militares na hora da agressão. Oito homens conseguiram fugir, mas dois foram apreendidos.

No registro de ocorrência, o relato do crime se mostra ainda mais chocante. “Só gritou porque eles empurraram um galho de árvore em sua bunda”; “obrigando a pagar boquete triplo”; “não usaram camisinha, no pelo” são alguns dos trechos do boletim.

“Me senti envergonhada com a maneira como o registro de ocorrência foi feito. Isso não é certo. A vergonha e o nojo são inexplicáveis”, afirmou a vítima em entrevista ao Extra. A vendedora ainda disse que não teve coragem de falar dos outros casos.

Na madrugada de ontem, ela foi para casa de amigos que moram fora da cidade e pela tarde teve que ser acompanhada por membros da Comissão de Direitos Humanos da Alerj para fazer exames médicos. A vítima também passará por um tratamento psicológico. O apoio jurídico também será de responsabilidade da comissão.

A Polícia Civil informou, em nota ao jornal, que não pode divulgar informações sobre o caso e que diligências estão em andamento. Já a Polícia Militar disse que os menores apreendidos se diziam ser do tráfico de drogas do Jardim Miriambi, bairro de São Gonçalo.
Relembre o caso

A vítima, que é mãe de três meninas de 12, 13 e 14 anos, diz que não tem conseguido dormir e que vive dias de pânico, desde que foi estuprada pela quarta vez pelos criminosos.

“Estava em um bar, na Rua Cardeal Sebastião Leme, bebendo cerveja com um amigo. Já era uma da madrugada quando quatro rapazes chegaram na minha mesa e me obrigaram a entrar no banheiro com eles. Meu amigo ainda chegou a dizer que estava comigo, mas eles falaram que quem mandava em mim eram eles . Já no banheiro, fui obrigada a fazer sexo oral em todos eles”, conta a mulher.

Depois, eles a levaram para uma rua muito escura, onde chegaram mais homens e a estupraram. Logo em seguida, uma viatura da PM se aproximou, afastando o grupo do local. Assim que os policiais chegaram, encontraram a vítima chorando compulsivamente e sem roupas. Dois menores, um de 15 e outro de 16 anos, foram presos. Os outros oito criminosos conseguiram fugir.
Fonte: Geledés

Nenhum comentário:

Postar um comentário