terça-feira, 4 de outubro de 2016

Mônica Iozzi é condenada a pagar R$30 mil a Gilmar Mendes após criticá-lo em um post no Instagram

A defesa de Gilmar Mendes pediu, inicialmente, R$ 100 mil por entender que a publicação atingia a honra e imagem do ministro a medida que induziria a cumplicidade de Gilmar nos crimes. O juiz Giorgano Resende Costa, entendeu que, por ser uma pessoa pública, Mônica “abusou do seu direito de liberdade de expressão” e portanto, “sua liberdade de expressão deve ser utilizada de forma consciente e responsável“.

Segundo informações do G1, o caso corre na Justiça do Distrito Federal desde 6 de junho deste ano e foi julgado em 21 de setembro.

Abdelmassih foi condenado a 181 anos de prisão e cumpre pena no presídio de Tremembé, no interior do estado de São Paulo. Antes disso, o ex-médico que havia sido condenado a 278 anos de prisão, ficou foragido quando seu habeas corpus foi revogado. Em 2014, foi encontrado pelo repórter Leandro Sant’Ana da Record, e pela Polícia Federal, no Paraguai. Após chegar no Brasil, teve sua pena reduzida para 181 anos pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
Mônica postou uma foto, em maio deste ano, em seu Instagram criticando decisão do ministro do STF que concedeu habeas corpus para Roger Abdelmassih, ex-médico indiciado por crimes de estupro e manipulação genética. Na foto, a atriz questiona “cúmplice?” junto da legenda “Gilmar Mendes concedeu Habeas Corpus para Roger Abdelmassih, depois de sua condenação a 278 anos de prisão por 58 estupros“. “Se um ministro do STF faz isso… Nem sei o que esperar…

A defesa de Gilmar Mendes pediu, inicialmente, R$ 100 mil por entender que a publicação atingia a honra e imagem do ministro a medida que induziria a cumplicidade de Gilmar nos crimes. O juiz Giorgano Resende Costa, entendeu que, por ser uma pessoa pública, Mônica “abusou do seu direito de liberdade de expressão” e portanto, “sua liberdade de expressão deve ser utilizada de forma consciente e responsável“.

Segundo informações do G1, o caso corre na Justiça do Distrito Federal desde 6 de junho deste ano e foi julgado em 21 de setembro.

Abdelmassih foi condenado a 181 anos de prisão e cumpre pena no presídio de Tremembé, no interior do estado de São Paulo. Antes disso, o ex-médico que havia sido condenado a 278 anos de prisão, ficou foragido quando seu habeas corpus foi revogado. Em 2014, foi encontrado pelo repórter Leandro Sant’Ana da Record, e pela Polícia Federal, no Paraguai. Após chegar no Brasil, teve sua pena reduzida para 181 anos pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
A defesa de Gilmar Mendes pediu, inicialmente, R$ 100 mil por entender que a publicação atingia a honra e imagem do ministro a medida que induziria a cumplicidade de Gilmar nos crimes. O juiz Giorgano Resende Costa, entendeu que, por ser uma pessoa pública, Mônica “abusou do seu direito de liberdade de expressão” e portanto, “sua liberdade de expressão deve ser utilizada de forma consciente e responsável“.
Segundo informações do G1, o caso corre na Justiça do Distrito Federal desde 6 de junho deste ano e foi julgado em 21 de setembro.
Abdelmassih foi condenado a 181 anos de prisão e cumpre pena no presídio de Tremembé, no interior do estado de São Paulo. Antes disso, o ex-médico que havia sido condenado a 278 anos de prisão, ficou foragido quando seu habeas corpus foi revogado. Em 2014, foi encontrado pelo repórter Leandro Sant’Ana da Record, e pela Polícia Federal, no Paraguai. Após chegar no Brasil, teve sua pena reduzida para 181 anos pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
Fonte: Justificando

Nenhum comentário:

Postar um comentário