segunda-feira, 27 de abril de 2015

Os 30 países mais felizes do mundo

Brasil sobe oito posições em ranking global de felicidade medido pela ONU. Levantamento considera PIB per capita, expectativa de vida e outros fatores. Confira a relação dos países mais felizes do mundo
O país mais feliz do mundo, segundo a pesquisa, é a Suíça, seguida por Islândia, Dinamarca, Noruega e Canadá. Já o país mais triste é Ruanda, que sofreu com um genocídio nos anos 1990. A Síria, assolada por uma guerra civil, também está entre os menos felizes, assim como Togo, Burundi e Benin. O índice considerou 158 países com base em dados do instituto de pesquisa Gallup. O ranking é baseado no quanto as pessoas se consideram felizes, mas ele estima também o quanto dessa felicidade se deve a variáveis como PIB per capita, expectativa de vida, níveis de corrupção e liberdades individuais. Contaram a favor do Brasil a expectativa de vida e o apoio social (que significa ter com quem contar em situações problemáticas).

O Brasil subiu oito posições e chegou ao 16º lugar no ranking de felicidade divulgado pela Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN, na sigla em inglês), uma iniciativa da ONU.
O país mais feliz do mundo, segundo a pesquisa, é a Suíça, seguida por Islândia, Dinamarca, Noruega e Canadá.
Já o país mais triste é Ruanda, que sofreu com um genocídio nos anos 1990. A Síria, assolada por uma guerra civil, também está entre os menos felizes, assim como Togo, Burundi e Benin.
O índice considerou 158 países com base em dados do instituto de pesquisa Gallup.
O ranking é baseado no quanto as pessoas se consideram felizes, mas ele estima também o quanto dessa felicidade se deve a variáveis como PIB per capita, expectativa de vida, níveis de corrupção e liberdades individuais.
Contaram a favor do Brasil a expectativa de vida e o apoio social (que significa ter com quem contar em situações problemáticas).
O Brasil havia ficado em 24º lugar na última edição do ranking, em 2013. Os pesquisadores afirmam que os brasileiros dizem se sentir mais felizes atualmente, mas que a melhora na posição do país não se deve a nenhuma grande alteração em outros fatores.
O objetivo do ranking é influenciar em políticas públicas.
“Cada vez mais a felicidade é considerada uma medida adequada de progresso social e um objetivo da política pública”, diz o relatório.
“Um número cada vez maior de governos nacionais e locais estão usando dados sobre felicidade na busca por políticas que possam permitir que as pessoas tenham uma vida melhor”.
O SDSN é composto por integrantes do meio acadêmico, de governos e do setor privado. O primeiro relatório foi lançado em 2012.
1 – Suíça
2 – Islândia
3 – Dinamarca
4 – Noruega
5 – Canadá
6 – Finlândia
7 – Holanda
8 – Suécia
9 – Nova Zelândia
10 – Austrália
11 – Israel
12 – Costa Rica
13 – Áustria
14 – México
15 – Estados Unidos
16 – Brasil
17 – Luxemburgo
18 – Irlanda
19 – Bélgica
20 – Emirados Árabes Unios
21 – Reino Unido
22 – Omã
23 – Venezuela
24 – Cingapura
25 – Panamá
26 – Alemanha
27 – Chile
28 – Catar
29 – França
30 – Argentina
Fonte: Pragmatismo Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário