segunda-feira, 13 de abril de 2015

Celular usado: veja os cuidados necessários na hora de comprar um

Sempre exija a nota fiscal na hora de comprar um smartphone usado. Mesmo que o vendedor diga que não possua mais a nota do aparelho, ele pode tirar uma segunda via na loja onde comprou o celular. É algo relativamente fácil de se fazer, caso a compra tenha sido feita em lojas online. Além da nota, quanto mais elementos originais o smartphone tiver, melhor. Pergunte por caixa, fones de ouvidos originais, carregador, manuais e etc. Geralmente quem compra o celular pensando apenas em ficar com ele, sem revender, pode não ter mais a caixa, mas mesmo assim, pedir a nota fiscal irá garantir a procedência do aparelho.
Comprar um celular novo é sempre a melhor opção, embora muitas vezes o mercado de usados também ofereça preços interessantes.
Entretanto, nesses casos, é preciso ter cuidado redobrado. Confira dicas para comprar smartphones usados com segurança e evite problemas.
Exija nota fiscal, caixa e acessórios
Sempre exija a nota fiscal na hora de comprar um smartphone usado. Mesmo que o vendedor diga que não possua mais a nota do aparelho, ele pode tirar uma segunda via na loja onde comprou o celular. É algo relativamente fácil de se fazer, caso a compra tenha sido feita em lojas online.
Além da nota, quanto mais elementos originais o smartphone tiver, melhor. Pergunte por caixa, fones de ouvidos originais, carregador, manuais e etc. Geralmente quem compra o celular pensando apenas em ficar com ele, sem revender, pode não ter mais a caixa, mas mesmo assim, pedir a nota fiscal irá garantir a procedência do aparelho.
Sempre exija a nota fiscal na hora de comprar um smartphone usado. Mesmo que o vendedor diga que não possua mais a nota do aparelho, ele pode tirar uma segunda via na loja onde comprou o celular. É algo relativamente fácil de se fazer, caso a compra tenha sido feita em lojas online. Além da nota, quanto mais elementos originais o smartphone tiver, melhor. Pergunte por caixa, fones de ouvidos originais, carregador, manuais e etc. Geralmente quem compra o celular pensando apenas em ficar com ele, sem revender, pode não ter mais a caixa, mas mesmo assim, pedir a nota fiscal irá garantir a procedência do aparelho.
O motivo para essa precaução é devido ao enorme volume de smartphones roubados. Segundo a Polícia de São Paulo, cerca de 20,6% dos produtos roubados no estado são celulares. No Brasil, já foram bloqueados mais de cinco milhões de aparelhos por perda ou roubo. Não é necessário salientar que é preciso conferir se a nota fiscal corresponde mesmo ao aparelho.
Marque a negociação em um local público 
Com o sucesso das redes sociais, criaram-se muitos grupos e comunidades para compra e venda de diversos produtos. Caso você tenha visto uma oferta interessante e vá se encontrar com uma pessoa para comprar um aparelho, prefira marcar o encontro em locais públicos. 
Ao marcar um local, aproveite para pedir os dados pessoais do vendedor, como nome, endereço, telefone e, se possível, adicione o perfil dela nas redes sociais. Desconfie de pessoas que possuem perfil vazio, sem fotos pessoais ou que tenha sido criado há muito pouco tempo.
Desconfie de preços muito baixos e celulares com “problema no leitor de chip”
Ao encontrar uma oferta tentadora, com um preço muito baixo, desconfie. Peça mais informações, nota fiscal, caixa e acessórios. Pergunte também se o aparelho está em perfeito funcionamento e se ainda está na garantia da fábrica. Fique atento aos preços nos mercados de usados. Pesquise em sites de leilão para ver se o preço está compatível com a realidade.
Sempre exija a nota fiscal na hora de comprar um smartphone usado. Mesmo que o vendedor diga que não possua mais a nota do aparelho, ele pode tirar uma segunda via na loja onde comprou o celular. É algo relativamente fácil de se fazer, caso a compra tenha sido feita em lojas online. Além da nota, quanto mais elementos originais o smartphone tiver, melhor. Pergunte por caixa, fones de ouvidos originais, carregador, manuais e etc. Geralmente quem compra o celular pensando apenas em ficar com ele, sem revender, pode não ter mais a caixa, mas mesmo assim, pedir a nota fiscal irá garantir a procedência do aparelho.
Evite smartphones com “problema no leitor do chip”, principalmente se o vendedor não tiver nota fiscal do mesmo. Celulares bloqueados por perda ou roubo não aceitam chip SIM de nenhuma operadora, e é muito raro um aparelho apresentar problemas no leitor.
Teste todas as funções antes de fechar o negócio
Ao encontrar outra pessoa para negociar a compra de um smartphone, aproveite para testar todas as funções do celular ainda no local. Leve um chip SIM, compatível com o aparelho e faça uma ligação. Fique atento ao chip, pois há smartphones que aceitam apenas chips micro-SIM.
Teste as câmeras, veja se há modificações no sistema operacional e, se possível, teste o sinal de Wi-Fi. É muito importante verificar todas as funções possíveis antes de concretizar a compra.
Verifique se há marcas de impacto 
Manter o celular intacto durante um ou dois anos pode ser relativamente simples para algumas pessoas e complicado para outras, por isso prefira aparelhos com película ou tela Gorilla Glass. Se não for possível examinar o aparelho antes da compra, peça para ver fotos com a tela desligada e o aparelho contra a luz, para poder ver se a tela está intacta. Peça também fotos de todos os ângulos.
Sempre exija a nota fiscal na hora de comprar um smartphone usado. Mesmo que o vendedor diga que não possua mais a nota do aparelho, ele pode tirar uma segunda via na loja onde comprou o celular. É algo relativamente fácil de se fazer, caso a compra tenha sido feita em lojas online. Além da nota, quanto mais elementos originais o smartphone tiver, melhor. Pergunte por caixa, fones de ouvidos originais, carregador, manuais e etc. Geralmente quem compra o celular pensando apenas em ficar com ele, sem revender, pode não ter mais a caixa, mas mesmo assim, pedir a nota fiscal irá garantir a procedência do aparelho.
Marcas de amassado ou trincado significa que o celular caiu. A questão não é apenas estética. Com a queda, a possibilidade de algum dano interno existe, e pode ser que o aparelho não resista a uma próxima queda, ou possa apresentar problemas com o tempo.
Fonte: Portal TecTudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário