terça-feira, 22 de novembro de 2016

Juristas se solidarizam contra demissão de professor da PUC Minas

O professor, advogado e autor do livro ‘Tchau, Querida Democracia‘, Leonardo Yarochewsky, foi demitido ontem (21) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), campus Coração Eucarístico.  

Yarochewsky recebeu uma notificação do Departamento do Curso de Direito da Faculdade Mineira de Direito (FMD) e afirmou que seu posicionamento político talvez tenha influenciado na demissão. O professor, que é colunista no Justificando, disse, no entanto, que por ser formado na PUC e dar aula há vinte e seis anos na Universidade, tem muito carinho pela instituição.
O professor, advogado e autor do livro ‘Tchau, Querida Democracia‘, Leonardo Yarochewskyfoi demitido ontem (21) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), campus Coração Eucarístico.
Yarochewsky recebeu uma notificação do Departamento do Curso de Direito da Faculdade Mineira de Direito (FMD) e afirmou que seu posicionamento político talvez tenha influenciado na demissão. O professor, que é colunista no Justificando, disse, no entanto, que por ser formado na PUC e dar aula há vinte e seis anos na Universidade, tem muito carinho pela instituição.
O desligamento, sem justa causa, deixou juristas, alunos e ex alunos inconformados. Nesta manhã (22), cerca de 100 alunos escreveram um abaixo-assinado como forma de manifestar repúdio e inconformismo à demissão do magistrado. No texto, afirma-se que o professor prezava acima de tudo a liberdade, e que tal decisão demonstra como uma instituição, “que deveria prezar pelo diálogo e transparência, se submeteu aos desígnios escusos de uma politicagem que não aceita opiniões contestadoras e divergentes”.
O professor de Direito Processual na UFRJ, Geraldo Prado, comentou em sua rede social a demissão do colega Yarochewsky. Para ele, decisão é reflexo da mediocridade, cinismo e intolerância no magistério. “Não tenho a menor dúvida de que Leonardo Yarochewsky é muito maior que tudo isso. Fica a minha pessoal gratidão ao mestre Yarochewsky, com a certeza de que estamos juntos na trincheira da democracia”, afirmou.
Juarez Tavares, professor da Universidade Federal do Paraná, considera Yarochewsky um grande professor e jurista crítico Ele ainda afirmou que este é mais um lamentável procedimento de intolerância no mundo acadêmico.
Cada dia que passa nos deparamos com atitudes cada vez mais representativas de uma sociedade temperada pelo ódio, pela repressão e pela falta de diálogo e de democracia. Minha total solidariedade a Leonardo Yarochewsky. Não o esqueceremos. Estaremos sempre juntos. (….) Só posso lamentar que a PUC/MG não o tenha“, disse.
“Mas ainda resta uma indagação em meio às irracionalidades burocráticas: a PUC-MG tem um quadro de professores de Direito Penal que permite abdicar de ‘Léo’ Yarochewsky? Conheço muito bem a área e, com todo respeito aos demais docentes da casa, nas duas últimas décadas a PUCMG só existiu no cenário jurídico-penal nacional por causa de Léo Yarochewsky – assim como tem sido muito bem representada, na área do processo penal, pela Flaviane de Magalhães Barros.”, afirmou o professor da UFRJ, Salo de Carvalho.
Também manifestaram-se contra a saída do professor: Elmir Duclerc, Simone Nacif, Pedro Estevam Serrano, Patrick Cacicedo e Salah H. Khaled Jr. 

No vídeo abaixo, divulgado por Geraldo, alunos aplaudem o professor.

Leia abaixo a íntegra do abaixo-assinado

Nós, alunos e ex-alunos do Professor Doutor Leonardo Isaac Yarochewsky viemos, por meio deste abaixo-assinado, manifestar repúdio e inconformismo em relação à decisão da Câmara do Departamento do Curso de Direito da Faculdade Mineira de Direito (FMD), que o dispensou de suas atividades no magistério.
Durante vinte e seis anos, o Professor Doutor Leonardo Isaac Yarochewsky lecionou com paixão, sentimento que o impulsionou desde o início de sua carreira na docência. Sempre preocupado em transmitir uma formação humana e crítica aos seus alunos, sua dedicação à formação de inúmeros profissionais é incontestável. Advogados, juízes, promotores, professores e demais profissionais do Direito não somente aprenderam com ele, mas ensinaram-no a se dedicar com mais afinco à academia. 
Além de Doutor em Direito Penal, sua carreira enquanto advogado renomado e escritor de artigos de opinião jurídica contribuiu para que inúmeros de nós nos inspirássemos a sermos pessoas e profissionais melhores.
Nosso professor preza, sobremaneira, a liberdade, no sentido mais radical da palavra. O fato de nunca ter se calado diante de injustiças sempre foi seu maior e invejável trunfo. Ocorre que, tal característica, não é apreciada por aqueles que não veem nos alunos a verdadeira razão de ser de uma instituição como a FMD.
Assim, seu desligamento, sem justa causa, demonstra como uma instituição, que deveria prezar pelo diálogo e transparência, se submeteu aos desígnios escusos de uma politicagem que não aceita opiniões contestadoras e divergentes. Transmite-se, destarte, a errônea mensagem de que a diferença não é tolerada ou respeitada.
Entretanto, o Professor Doutor Leonardo Isaac Yarochewsky nos ensinou que a luta contra injustiças deve ser incessante, e esse seu legado jamais poderá ser sepultado. Pelo contrário, tal decisão infundada da Câmara do Departamento do Curso de Direito da FMD  avivou em nós o desejo de pulverizar os ensinamentos de um professor que transcendeu as lições de Direito Processual Penal e Direito Penal. Hoje, quem perde é a Faculdade Mineira de Direito da PUC Minas e todos aqueles que não tiveram a oportunidade de serem alunos de um professor que jamais será esquecido. “Os poderosos podem matar uma, duas, três flores, mas jamais deterão a primavera!”. Não nos calaremos e tal decisão arbitrária e parcial não será esquecida, maculando, em definitivo, o nome da FMD.
Fonte: Justificando

Nenhum comentário:

Postar um comentário