terça-feira, 30 de agosto de 2016

PARLAMENTARES BRITÂNICOS CONDENAM O IMPEACHMENT

Carta assinada por 20 políticos chama a retirada de Dilma da presidência de "um insulto a democracia"Nesta sexta, 26 de  Agosto, o jornal britânico The Guardian publicou uma carta assinada por 20 parlamentares do Reino Unido que condenam o golpe no Brasil.
Assinada por 16 políticos do Partido Trabalhista, 3 do Partido Nacional Escocês e um do Plaid Cymru, o documento é um curto texto em que legisladores da Inglaterra, Escócia e País de Gales repudiam o golpe e declaram apoio aos diversos movimentos sociais que tem lutado pela democracia.

A baixo, a carta transcrita e traduzida para o português.

Suspensão de Dilma Rouseff é um insulto para a democracia no Brasil

Nós condenamos a suspensão da Presidenta Dilma Rousseff no Brasil. É por meio de uma injustiça que poucos parlamentares pisam sobre o desejo político expresso nas  urnas por  54 milhões de brasileiros.  O novo governo mostrou suas verdadeiras cores ao apontar uma equipe ministerial não representativa e toda masculina e ao lançar políticas neoliberais  que  ferirão milhões das classes trabalhadoras e mais pobres. O governo interino não possuí mandato para implementar políticas que revertem os programas sociais que retiraram 40 milhões de pessoas da pobreza.
Nesta sexta, 26 de  Agosto, o jornal britânico The Guardian publicou uma carta assinada por 20 parlamentares do Reino Unido que condenam o golpe no Brasil.
Assinada por 16 políticos do Partido Trabalhista, 3 do Partido Nacional Escocês e um do Plaid Cymru, o documento é um curto texto em que legisladores da Inglaterra, Escócia e País de Gales repudiam o golpe e declaram apoio aos diversos movimentos sociais que tem lutado pela democracia.
A baixo, a carta transcrita e traduzida para o português.
Suspensão de Dilma Rouseff é um insulto para a democracia no Brasil
Nós condenamos a suspensão da Presidenta Dilma Rousseff no Brasil. É por meio de uma injustiça que poucos parlamentares pisam sobre o desejo político expresso nas  urnas por  54 milhões de brasileiros.  O novo governo mostrou suas verdadeiras cores ao apontar uma equipe ministerial não representativa e toda masculina e ao lançar políticas neoliberais  que  ferirão milhões das classes trabalhadoras e mais pobres. O governo interino não possuí mandato para implementar políticas que revertem os programas sociais que retiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Nós nos juntamos com  os politicamente progressivos e movimentos sociais do Brasil, e grupos da sociedade civil mundial, incluindo o movimento sindical, para condenar esta tentativa de derrubar a democracia no Brasil.
Richard Burgon MP (Trabalhista)
Ruth Cadbury MP (Trabalhista)
Jim Cunningham MP (Trabalhista)
Andrew Gwynne MP (Trabalhista)
Kelvin Hopkins MP (Trabalhista)
Ian Lavery MP (Trabalhista)
Clive Lewis MP (Trabalhista)
Rachael Maskell MP (Trabalhista)
Angus MacNeil MP (Partido Nacional Escocês)
Grahame Morris MP (Trabalhista)
John Nicolson MP (Partido Nacional Escocês)
Liz Saville Roberts MP (Plaid Cymru, Partido do País de Gales)
Tommy Sheppard MP (Partido Nacional Escocês)
Lord Jeremy Beecham (Trabalhista)
Lord Martin John O’Neill (Trabalhista)
Jenny Rathbone AM (Trabalhista)
Claudia Beamish MSP (Trabalhista)
Neil Findlay MSP (Trabalhista)
Iain Gray MSP (Trabalhista)
Elaine Smith MSP (Trabalhista)
MP: Membro do Parlamento
AM: Membro da Assembleia Nacional do País de Gales
MSP: Membro do Parlamento Escocês

Nenhum comentário:

Postar um comentário