quarta-feira, 24 de junho de 2015

Vereador Paulo Diógenes: “Aos 12 anos, ouvi na escola que quem era gay era pedófilo”



Vocês falam em família e isso me toca, porque há dois anos a Constituição me garantiu isso. Cresci com meu pai dizendo “Tome jeito de homem”, e eu quero dizer para vocês: eu sou homem. Superei todos os preconceitos e hoje tenho meu marido, tenho minha filha, tenho minha família. Vocês não tem procuração de Deus para me julgar. Hoje eu tenho orgulho de ser gay. Tenho uma família e sou feliz. Não misturem religião com política! Aqui não é púlpito de Deus para despejar o ódio de vocês. Sou gay, sou honesto e o que mais me doeu a vida inteira foi ouvir: “Paulo é uma pessoal boa, inteligente, mas é gay”. Esse “mas é gay” é a pior coisa. Não queiram jogar essas crianças na fogueira, nós estamos pedindo só para os professores saberem como lidar.


Primeiro o vereador Paulo Diógenes fez este belo vídeo em defesa da pluralidade do conceito de família, realidade no Brasil e no mundo:


E ontem seu belo depoimento na Câmara dos Vereadores de Fortaleza, incapaz de demover os fundamentalistas reacionários que estão enterrando a Constituição Brasileira, As Leis de Diretrizes e Bases, as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica para substituí-las pelo Antigo Testamento.
É preciso que a sociedade civil se organize pra enfrentar este talibã fundamentalista e homofóbico que invadiu o Legislativo e quer levar o país para a barbárie da ignorância.
fundamentalistas cearenses
DISCURSO DO VEREADOR DE FORTALEZA PAULO DIOGENES, EM DEFESA DAS DECISÕES DA CONFERENCIA DA EDUCAÇÃO. PELA PERMANÊNCIA DA QUESTÃO DE GÊNERO E RESPEITO À DIVERSIDADE NO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO!
Eu ouvi na escola que quem era gay era pedófilo, era pederasta. Gente, eu voltei para casa dizendo que minha vida tinha acabado. Eu tinha 12 anos! Eu não pedi para ser gay, eu nasci gay. Mas eu perguntava “Deus, por que você me fez gay? Por que eu nasci doente? Ele me deu essa doença e ainda me reprova?”. Eu sofri tanto na escola… E eu optei por sofrer? Eu optei por apanhar? Optei por ser apontado na rua? Se deus tem poder de transformação, por que não me transformou? Vocês acham que optei por chegar nessa Câmara Municipal de Fortaleza e ter que ouvir piadinhas de alguns vereadores?
Eu sou cristão, porque jamais julguei algum vereador aqui na casa. Sabe por que eu sou cristão? Porque jamais usei a fé alheia para me eleger.
Vocês falam em família e isso me toca, porque há dois anos a Constituição me garantiu isso. Cresci com meu pai dizendo “Tome jeito de homem”, e eu quero dizer para vocês: eu sou homem. Superei todos os preconceitos e hoje tenho meu marido, tenho minha filha, tenho minha família.
Vocês não tem procuração de Deus para me julgar. Hoje eu tenho orgulho de ser gay. Tenho uma família e sou feliz. Não misturem religião com política! Aqui não é púlpito de Deus para despejar o ódio de vocês.
Sou gay, sou honesto e o que mais me doeu a vida inteira foi ouvir: “Paulo é uma pessoal boa, inteligente, mas é gay”. Esse “mas é gay” é a pior coisa. Não queiram jogar essas crianças na fogueira, nós estamos pedindo só para os professores saberem como lidar.
Amanhã as pessoas em Fortaleza saberão quem são os Bolsonaros, os Felicianos e os Malafaias da Câmara Municipal.
Fonte: Blog da Maria Frô

Nenhum comentário:

Postar um comentário