quinta-feira, 3 de março de 2016

Torcida do Corinthians faz novo protesto e Galvão Bueno comenta, ao vivo

"O futebol brasileiro é refém da Rede Globo", dizia uma das mensagens de protesto estampada pela torcida do Corinthians no jogo desta quarta-feira (2). Galvão Bueno, que narrava a partida, comentou, ao vivo, a manifestação, e, naturalmente, saiu em defesa da emissora


“Futebol refém da rede Globo” e “globo manipuladora” era o que estava escrito nas faixas.
Quando a câmera filmou a manifestação, Galvão disse que três emissoras transmitem a Libertadores, mas que a Globo é a única que o faz de forma gratuita, por ter o sinal em TV aberta. Ele também defendeu o direito de manifestação dos torcedores. “Protestar é um direito de todo cidadão”, afirmou.
A faixa já havia sido levada à Arena Corinthians em outros jogos da equipe nesta temporada, mas pela primeira vez a Globo mostrou o protesto e comentou o assunto.
Nem mesmo quando a partida entre Corinthians e São Paulo, no dia 14 de fevereiro, pelo Paulista, foi paralisada pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira por causa das faixas, a emissora havia explicado o motivo da interrupção.
Naquela ocasião, outras faixas diziam “quem vai punir o ladrão de merenda” (em referência ao presidente da Assembleia paulista, Fernando Capez (PSDB), investigado na Operação Alba Branca e considerado inimigo das torcidas organizadas), “ingresso mais barato” e “CBF, FPF, vergonha do
Transmissão mostra faixa de protestos da torcida do Corinthians contra a Globo e Galvão sai em defesa da emissora
corinthians protesto galvão bueno globoFaixas exibidas pela torcida do Corinthians nesta quarta-feira (2) | Reprodução
Durante o intervalo da partida entre Corinthians e Independiente Santa Fe, em Itaquera, na noite desta quarta-feira (2), pela Copa Libertadores, o narrador da Rede Globo Galvão Bueno comentou (vídeo abaixo) faixas contra a emissora exibidas pela torcida corintiana.
“Futebol refém da rede Globo” e “globo manipuladora” era o que estava escrito nas faixas.
Quando a câmera filmou a manifestação, Galvão disse que três emissoras transmitem a Libertadores, mas que a Globo é a única que o faz de forma gratuita, por ter o sinal em TV aberta. Ele também defendeu o direito de manifestação dos torcedores. “Protestar é um direito de todo cidadão”, afirmou.
A faixa já havia sido levada à Arena Corinthians em outros jogos da equipe nesta temporada, mas pela primeira vez a Globo mostrou o protesto e comentou o assunto.
Nem mesmo quando a partida entre Corinthians e São Paulo, no dia 14 de fevereiro, pelo Paulista, foi paralisada pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira por causa das faixas, a emissora havia explicado o motivo da interrupção.
Naquela ocasião, outras faixas diziam “quem vai punir o ladrão de merenda” (em referência ao presidente da Assembleia paulista, Fernando Capez (PSDB), investigado na Operação Alba Branca e considerado inimigo das torcidas organizadas), “ingresso mais barato” e “CBF, FPF, vergonha do futebol”.
A torcida iniciou a sequência de protestos em 12 de fevereiro, na vitória contra o Capivariano, pelo Campeonato Paulista.
Na ocasião, o protesto foi contra a Rede Globo, partidas às 22h e as contas da Arena Corinthians. A manifestação gerou confusão entre a torcida e a Polícia Militar, que retirou as faixas exibidas.
Na partida do último sábado (27), contra o Oeste, a novidade ficou por conta da tentativa de atrair atenção internacional com a faixa “football without fans is nothing” (futebol sem os fãs não é nada), e pelo fato de outras três organizadas unirem-se à Gaviões da Fiel no protesto.
Vídeo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário