quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Suposto “déficit” da Previdência cai 22% e atinge menor nível desde 2002


A Previdência Social arrecadou no ano passado R$ 251,2 bilhões e arcou com R$ 287,7 bilhões em despesas, segundo dados oficiais do governo federal. No período, o suposto “déficit”, contestado por diferentes setores da sociedade, chegou a R$ 36,5 bilhões, coberto pelo Tesouro Nacional. O resultado negativo é 22,3% menor do que o registrado 2010, quando o resultado entre a arrecadação e as despesas foi deficitário em R$ 47 bilhões.  

Ao anunciar os números, o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, destacou que o resultado de 2011 foi o melhor desde 2002. Ele destacou que, embora seja cedo para fazer previsões, a estimativa de arrecadação para este ano supera a de 2011, com a geração gradual de empregos. Segundo ele, a necessidade de financiamento da Previdência Social poderá ser menor que a de 2011.

O mês de dezembro registrou superávit de R$ 4,9 bilhões, na relação arrecadação e despesas, das áreas rural e urbana. Em geral, o último mês do ano tem resultado positivo no recolhimento, por causa do pagamento ao INSS do percentual relativo ao 13º salário.

Em dezembro, a Previdência pagou mais de 29 milhões de benefícios, sendo 25 milhões previdenciários e acidentários e o restante assistenciais. As aposentadorias somaram 16 milhões de benefícios com elevação de 3,4% em relação aos números de dezembro de 2010.

Sem déficit

A CTB é uma das entidades que contesta a existência de qualquer tipo de déficit na Previdência Social do país. No último mês de agosto, em seminário organizado pela Central, seus dirigentes voltaram a questionar os números do governo, definindo-os como “falácia”.

Universidades como a UFRJ e a USP, além de órgãos como o Ipea já divulgaram estudos que corroboram esse ponto de vista. Seguem abaixo alguns links de trabalhos que discutem a inexistência de qualquer déficit.



Fonte texto: Portal CTB

Nenhum comentário:

Postar um comentário