terça-feira, 10 de janeiro de 2012

A Voz Popular: "Bate-paus" não intimidam CTB MG



 Aconteceu em Jacutinga, sul de minas, no dia 6 de janeiro, a assembléia para a criação do sindicato dos trabalhadores metalúrgicos de Jacutinga e região, o SindMetalJacutinga. Como haveria de acontecer; o atual sindicato, o sindicato dos trabalhadores metalúrgicos de Pouso Alegre e região- SindMetalPouso Alegre - que sempre se recusou a abrigar em seu seio a luta pelos trabalhadores de Jacutinga, entrou num embate infundado contra a decisão dos próprios trabalhadores da categoria, em Jacutinga. A assembléia aconteceu no clube da cidade com os trabalhadores de Jacutinga e região, sindicalistas classistas apoiados pelos trabalhadores de Jacutinga e região e a CTB. Do outro lado sindicalistas apoiados pela CUT. Como é típico da CUT, chegaram ao local com seus famosos “seguranças - mais conhecidos com Bate-Pau” a fim de manter a “ordem” durante a assembléia.  Os sindicalistas apoiados pela CTB e demais trabalhadores tinham seguranças locais que ficaram incumbidos de assegurar a integridade dos participantes. Os CUTistas se incumbiram de tumultuar a assembléia, provocar dirigentes CTBistas, com o triste objetivo de – mais uma vez – não atender o anseio da categoria que era de criar um sindicato classista que fosse o esteio de apoio da categoria que até então não tinha representatividade.
Houve negociação entre a CTB e CUT que não haveria confronto e que os “seguranças” da CUT não entrariam para que não houvesse intimidação dos trabalhadores. Como já era previsto, dentro da atitude anti-democratica que consome a instituição, a CUT aproveitou o momento em que caiu uma branda chuva para colocar em pratica seu plano de intimidação. Os “seguranças” da CUT invadiram a assembléia promovendo a quebra do acordo e agredindo os seguranças da CTB colocando em risco também a integridade de trabalhadores que estavam exercendo seu direito de reivindicação.  Dirigentes da CTB foram ameaçados pelos  CUTistas na frente do policiamento ostensivo que se encontravam no local. “Vou quebrar essa câmera e sua cara se você continuar a fotografar a gente”, disse um “segurança” ao dirigente dos coletivos de saúde e juvetude CTBista Romney Mesquita. Outros dirigentes foram ameaçados com o dirigente Rafael Calado, Fred entre outros. Entre empurrões e spray de pimenta, tentativa de expulsão dos sindicalistas classistas do SindMetalPouso Alegre, a CUT não conseguiu calar a voz dos trabalhadores que pediram a criação do novo sindicato.  Assim se mostra mais uma vez que a CTB esteve, está e sempre estará dando apoio incondicional às lideranças populares e principalmente lutar ao lado dos operários.

Romney Mesquita, dirigente dos coletivos de juventude e saúde da CTB MG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário