terça-feira, 28 de março de 2017

Em meio a chuvas e inundações, o Peru resiste como #UnaSolaFuerza

Desde o início de março, várias cidades do Peru vêm sendo tomadas por uma série aparentemente interminável de chuvas, inundacões, deslizamentos de terra, bloqueio de estradas e agora pela suspensão das aulas, que haviam começado alguns dias antes. Enquanto o número de vítimas aumenta, e os peruanos se mobilizam, as redes sociais, dentro e fora do país, estão divulgando histórias, iniciativas e desejos de apoio pelas campanhas #FuerzaPerú e #UnaSolaFuerza.

Os incidentes ocorreram por conta do fenômeno chamado Niño costeiro, que “até [quinta-feira] 16 de março, deixou um saldo de 62 mortos e 62 mil pessoas atingidas no Peru”. Segundo notícias, o Equador também foi afetado pelo fenômeno.
Desde o início de março, várias cidades do Peru vêm sendo tomadas por uma série aparentemente interminável de chuvas, inundacões, deslizamentos de terra, bloqueio de estradas e agora pela suspensão das aulas, que haviam começado alguns dias antes.
Enquanto o número de vítimas aumenta, e os peruanos se mobilizam, as redes sociais, dentro e fora do país, estão divulgando histórias, iniciativas e desejos de apoio pelas campanhas #FuerzaPerú e #UnaSolaFuerza.
Os incidentes ocorreram por conta do fenômeno chamado Niño costeiro, que “até [quinta-feira] 16 de março, deixou um saldo de 62 mortos e 62 mil pessoas atingidas no Peru”. Segundo notícias, o Equador também foi afetado pelo fenômeno.

Duas imagens de uma banca de jornal no sábado, dia 18 de março. Praticamente todos os jornais noticiaram as chuvas. Foto da autora, publicada com permissão.
O presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski vem utilizando sua conta do Twitter para enviar mensagens aos peruanos, informando sobre suas ações diante do desastre e fazendo recomendações à população em geral:



He dispuesto entregar S/ 4,400 millones a los gobiernos locales, regionales y nacional para iniciar la reconstrucción de zonas en emergencia

Me comprometi em entregar 4.400 milhões de sóis (aproximadamente R$4 milhões) aos governos locais, regionais e nacional para iniciar a reconstrução de zonas em situação de emergência pic.twitter.com/HcCen2oWVW

Estamos organizados y listos para atender la emergencia. Mantengamos la calma y obedezcamos a las autoridades. 

Estamos organizados e prontos para atender a emergência. Vamos manter a calma e obedecer às autoridades.

Esta emergencia pasará, pero tenemos que ser prudentes. No tomemos riesgos innecesarios como cruzar vías inundadas o puentes debilitados.

Esta emergência passará, mas temos que ser prudentes. Vamos evitar correr riscos desnecessários como cruzar vías inundadas ou pontes em mau estado.
Diversas instituições e empresas estão aceitando doações para enviar às zonas mais afetadas. Não faltaram rumores e falsos alertas que geraram mais medo na população já assustada com as notícias diárias. Na quarta-feira, dia 15 de março, as pessoas fizeram filas nos supermercados para se abastecer de água por conta dos cortes no fornecimento do serviço, que busca evitar que a turvação da água afete as instalações.


Limenhos chegam ao centro comercial Megaplaza para entregar donativos https://t.co/TRUZiHNesnpic.twitter.com/kUh8PxVTAC



Colas para llenar baldes con agua. Así igual por toda la ciudad. Av. Parinacochas, La Victoria - Lima @canalN_ @Agencia_Andina@PeruNews

Filas para encher baldes de água. O mesmo cenário por toda a cidade. Av. Parinacochas, La Victoria – Lima @canalN_@Agencia_Andina@PeruNewspic.twitter.com/o7ZQdEc8kr
— Jorge Campos (@jcampos148) 18 de março de 2017



Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

agua embotellada agotada supermercados colas interminables, prevenir SI - No caigamos en pánico Abastecimiento de alimentos está garantizado

Acabou a água mineral nos supermercados. Filas intermináveis, prevenir SIM – Não vamos entrar em pânico. O abastecimento de alimentos está garantido pic.twitter.com/pzzlt4DCb1
— Carlos Marill (@cmarilld) 17 de março de 2017

Evangelina Chamorro: símbolo da resistência

A protagonista da semana foi Evangelina Chamorro, que surgiu, literalmente, do barro na quarta-feira, dia 15, logo após um huayco [na língua quíchua, uma massa enorme de detritos deslocada por conta de chuvas torrenciais] ter devastado o distrito limenho de Punta Hermosa, onde ela vivia com sua família.



Evangelina Chamorro, de 32 años, se salva de morir en huayco de Punta Hermosa y se convierte en símbolo de tragedia en Perú.

Evangelina Chamorro, de 32 anos, se salva de ser morta por um huayco em Punta Hermosa e se transforma em um símbolo da tragedia no Peru. pic.twitter.com/wv22EJuE5c
— Pao Ugaz (@larryportera) 16 de março de 2017
Evangelina conseguiu sair do lodo com muita dificuldade, sendo então encaminhada a um hospital onde se recupera dos ferimentos, mas, apesar de tudo, não corre risco de vida.



¡Horror!
Esta es la portada de nuestra edición de hoy jueves 16 de marzo de 2017 http://www.peru21.pe 

Horror!
Esta é a primeira página da nossa edição de hoje, quinta-feira, dia 16 de março de 2017 https://t.co/Xba15WDo2Wpic.twitter.com/J8vKppXyeX
— Diario Perú21 (@peru21noticias) 16 de março de 2017
Sua história inspirou o artista colombiano Humberto Álvarez, conhecido como Alter Eddie e autor do site Se lo explico con plastilina (Represento com massa de modelagem, em tradução livre). Humberto deu forma à já icônica imagem de Evangelina com palavras de apoio ao Peru:


#FuerzaPeru#Evangelina#LimaenEmergencia Evangelina Chamorro, todo um exemplo de luta e coragem pic.twitter.com/TrANbEmx4n
— alter eddie (@altereddie) 17 de março de 2017
Em meio aos obstáculos, o país se recorda do seu célebre historiador Jorge Basadre que proferiu uma das frases mais repetidas nesses últimos dias: “O Peru é maior do que os seus problemas”.
Fonte: Global Voices

Nenhum comentário:

Postar um comentário