segunda-feira, 17 de março de 2014

Obama ameaça privatizar programa do New Deal; sindicatos contestam

Obama ameaça privatizar programa do New Deal; sindicatos contestam

Criado pelo Congresso como parte das iniciativas do New Deal, o Tennessee Valley Authority (TVA) está ameaçado de privatização pela administração Obama.

Na proposta de orçamento de 2014 do presidente Obama, lançada semana passada, está um programa renovado do governo para destruir uma das últimas políticas de sucesso que resultaram do New Deal de Franklin Delano Roosevelt, a mais de 80 anos.


Criado pelo Congresso como parte das iniciativas do New Deal de Roosevelt, o Tennessee Valley Authority (TVA) está ameaçado de privatização pela administração Obama. A (em tradução livre) Jurisdição do Vale do Tennessee foi criada em 1933 para controlar enchentes, fornecer energia elétrica e produzir fertilizantes para uma das regiões norte-americanas mais afetadas pela Grande Depressão.

De acordo com reportagem do periódico The Hill da última terça-feira, a inclusão de um plano para privatizar o TVA ataca os trabalhadores dos sindicatos empregados pelo Vale. Segundo os trabalhadores, o plano irá lhes custar seus empregos e, ao mesmo tempo, irá destruir uma entidade federal que cumpre sua missão.

Do periódico The Hill:
O presidente anunciou sua proposta no plano de orçamento do ano passado, alegando que a administração “pretende levar em conta uma revisão estratégica de opções ao para situação financeira do TVA, incluindo seu possível despojamento.”

No orçamento desse ano, a administração disse que “continua a acreditar que diminuindo ou eliminando o papel do governo federal em programas como o TVA, que alcançou seu objetivo, pode ajudar a mitigar o risco aos contribuintes.”

Esse trecho foi incluído apesar das vigorosas objeções dos sindicatos, que aprovaram uma resolução na convenção da Federação Americana do Trabalho e Congresso das Organizações Industriais (AFL-CIO) em setembro, exigindo que Washington rejeitasse todos os esforços para privatizar o TVA.

Junto com os engenheiros, a Associação Internacional dos Maquinistas (IAM) e a Irmandade internacional dos Eletricistas (IBEW) estão preocupadas com o risco imposto aos seus empregos com a privatização do TVA.

“É sempre uma preocupação quando acontece uma transição como essa,” disse Jim Spellane, o porta-voz da IBEW. “O primeiro lugar que eles irão procurar para reduzir custos é no trabalhador.”

O TVA foi criado pelo governo federal e continua sendo a maior corporação de planejamento regional federalmente administrada. Mesmo fornecendo eletricidade para 9 milhões de pessoas em 7 estados, o TVA sem fim lucrativos faz isso sem subsídio de contribuintes e com preços abaixo da média nacional.

Mesmo com falhas reais do TVA (o manuseio incorreto de tanques de pó de carvão que levou a um vazamento enorme em 2008) em termos de provar a viabilidade e eficiência como energia pública e como corporação de desenvolvimento econômico, conseguiu cumprir sua tarefa de melhorar a vida dos que moram em seu alcance.

Como Greg Junemann, presidente da Federação Internacional de Profissionais e Técnicos de Engenharia (IFPTE), disse ao The Hill, a ideia de privatizar não somente é improdutiva como também desafia a lógica.

“Atualmente, a Jurisdição do Vale do Tennessee fornece a mais barata e confiável fonte de energia do sul do país,” disse Junemann. “Não há nenhum motivo para fazer isso, a não ser a formação de algum tipo de parceria política que ninguém ainda desvendou.”
Fonte: A Carta Maior

Nenhum comentário:

Postar um comentário