terça-feira, 23 de maio de 2017

Polícia britânica detém homem que estaria ligado a atentado após show em Manchester

No ataque, ocorrido ao término de um show da cantora norte-americana Ariana Grande, 22 pessoas morreram, entre elas crianças, e 59 ficaram feridas; trabalha-se com a hipótese de atentado suicida
Um homem de 23 anos foi detido nesta terça-feira (23/05) pela polícia de Manchester, no Reino Unido. De acordo com os policiais, ele teria algum tipo de relação com o atentado ocorrido nesta segunda-feira (22/05) à noite na Manchester Arena.
No ataque, ocorrido ao término de um show da cantora norte-americana Ariana Grande, 22 pessoas morreram, entre elas crianças, e 59 ficaram feridas. Os sobreviventes estão sendo atendidos em hospitais da região metropolitana de Manchester.
Um homem de 23 anos foi detido nesta terça-feira (23/05) pela polícia de Manchester, no Reino Unido.
De acordo com os policiais, ele teria algum tipo de relação com o atentado ocorrido nesta segunda-feira (22/05) à noite na Manchester Arena.
No ataque, ocorrido ao término de um show da cantora norte-americana Ariana Grande, 22 pessoas morreram, entre elas crianças, e 59 ficaram feridas. Os sobreviventes estão sendo atendidos em hospitais da região metropolitana de Manchester.
A polícia trabalha com a hipótese de um atentado suicida, no qual teria sido usada uma bomba caseira.
"As famílias e muitos jovens estavam desfrutando de um show no Manchester Arena e morreram. Os nossos pensamentos estão com as 22 vítimas que sabemos que morreram, as 59 pessoas que ficaram feridas e seus entes queridos", disse o chefe de Polícia de Manchester, Ian Hopkins.
May: terrorismo
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse nesta terça que a cidade de Manchester foi vítima de um ataque terrorista "monstruoso" destinado a atingir famílias jovens que foram ao show.
May disse que a Polícia e os serviços secretos do Reino Unido ainda tentam estabelecer se o autor do atentado atuou só ou como parte de um grupo terrorista.
"Sabemos que um único terrorista detonou um artefato explosivo perto de uma das saídas do local, elegendo deliberadamente o momento e o lugar para provocar um grande massacre e ferir e matar indiscriminadamente", acrescentou.
"Os terroristas nunca vão ganhar e os nossos valores, o nosso país e a nossa forma de vida sempre prevalecerão", disse.
A primeira-ministra conservadora, que viajou para Manchester, acrescentou que este foi um dos piores "atentados perpetrados no Reino Unido e o pior no norte da Inglaterra".
Além disso, May afirmou que a ameaça terrorista contra o Reino Unido se mantém no nível "severo", o segundo mais grave e que significa que é muito possível que um outro atentado terrorista ocorra no país.
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário:

Postar um comentário