quarta-feira, 7 de maio de 2014

Após boato em rede social, ‘justiceiros’ podem ter assassinado pessoa inocente

Justiça com as próprias mãos termina em morte no Guarujá; marido diz que mulher foi confundida 
Após boato em rede social, ‘justiceiros’ podem ter assassinado pessoa inocente
Pelo país, seguem as práticas de linchamentos públicos contra pessoas acusadas de crimes. No último sábado (3), Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, foi espancada por moradores do bairro Morrinhos, no Guarujá, no litoral de São Paulo. A vítima morreu no dia 4, no hospital. 
Fabiane foi acusada, em uma página do Facebook, de sequestrar crianças para prática de magia negra. Segundo o seu companheiro, o porteiro Jaílson Alves das Neves, houve um equívoco.
“Começou com um boato na internet. Eles colocaram uma foto de uma pessoa parecida e todo mundo achou que era ela. Quando ela voltou para o bairro, a cercaram e começaram as agressões”, afirmou Jaílson.
Pela internet, moradores da região se manifestaram afirmando que Fabiane sofria de transtorno bipolar e era inocente. Jaílson confirmou que a companheira enfrentava um tratamento por conta da doença.
A página responsável pela acusação é a “Guarujá Alerta”. No perfil, diversas pessoas se manifestam contrarias à acusação feita contra Fabiane. “Boatos não podem ser propagados, pois podem gerar exatamente o que aconteceu, a morte de uma inocente. Pelo jeito, o jurídico de vocês vai ter bastante trabalho, pois indubitavelmente essa página está suja com o sangue de uma pessoa inocente…”, afirma Fernando Gomes Camacho.
A imagem divulgada pelo “Guarujá Alerta” já foi removida da página e os administradores reconheceram que era um boato e que “orientaram” a população de que havia apenas uma suspeita.
Até o momento, nenhum morador foi preso por causa das agressões. Nos vídeos, é possível identificar dezenas de “justiceiros” envolvidos nos ataques a Fabiane.
Vídeo sobre a matéria:
Fonte: Brasil de Fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário