segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

CAI O APOLOGISTA DA BARBÁRIE DO GOVERNO TEMER

A declaração foi feita quando ele comentava a chacina nos presídios.Diante da repercussão negativa, ele tentou se justificar, mas não adiantou.

O secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio, foi demitido nesta sexta-feira, depois de defender novos massacres nos presídios brasileiros;
"Eu sou meio coxinha sobre isso. Sou filho de polícia, né? Tinha era que matar mais. Tinha que fazer uma chacina por semana"; afirmou; declarações de Júlio, que é secretário licenciado de Juventude do PMDB, foram consideradas inaceitáveis até para o padrão do governo Temer; para o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, seria uma "afronta" mantê-lo na secretaria após as declarações; nesta semana, mais de 90 presos, sob a tutela do estado foram assassinados; muitos foram decapitados e tiveram seus corações arrancados.
O secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio, foi demitido nesta sexta-feira (6), depois de defender novos massacres nos presídios brasileiros.
"Eu sou meio coxinha sobre isso. Sou filho de polícia, né? Tinha era que matar mais. Tinha que fazer uma chacina por semana"; disse ele, ao comparar o assassinato de 60 detentos no Amazonas com a chacina de Campinas, onde um homem matou a ex-mulher, o filho e outras dez pessoas no réveillon.
"Isso que me deixa triste. Olha a repercussão que esse negócio que o presídio teve e ninguém está se importando com as meninas que foram mortas em Campinas. Elas, que não têm nada a ver com nada, que se explodam. Os santinhos que estavam lá dentro, que estupraram e mataram: Coitadinhos, oh, meu Deus, não fizeram nada!"
Declarações de Júlio, que é secretário licenciado de Juventude do PMDB, foram consideradas inaceitáveis até para o padrão do governo Temer. 
Para o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, seria uma "afronta" mantê-lo na secretaria após as declarações.
Fonte: Brasil 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário