quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Os anúncios mais sexistas de 2013

Os 10 anúncios mais sexistas de 2013. Confira os anúncios que despertaram a ira dos consumidores em 2013 pelo modo como retrataram as mulheres, a partir de seleção feita pelo AdWeek
10. Estereótipo
Sem dúvida o mais brando entre os representantes dessa lista, o comercial do Google acabou pecando pela estereotipização. No anúncio do novo Gmail, é possível observar uma mulher conversando com suas amigas sobre assuntos cliché como tricô, calçados e compras de maneira geral.
9. Ícone

A figura de “Rosie The Riveter” é um ícone cultural nos Estados Unidos, representante das mulheres americanas que trabalharam em fábricas na Segunda Guerra Mundial. Usá-la como uma dona-de-casa satisfeita com a limpeza proporcionada pelo anunciante Swiffer. Depois da recepção azeda na internet, a marca pediu desculpas e prometeu remover a imagem de todos os seus materiais de marketing.
8. Oportunismo
O oitavo lugar da lista é um comercial de orçamento astronômico da Axe para o Super Bowl 2013. Mas o dinheiro não garantiu a boa recepção da campanha, criticada por mostrar uma mulher oportunista que julga seus interesses amorosos tendo como base o status. A modelo troca sem pestanejar um salva-vidas por um astronauta no vídeo criado para promover o Axe Apollo.
7. Fome voraz
O tema do anúncio é um sanduíche da rede de fast-foods Carl Jr. Mas o conteúdo preferiu focar nas formas feminas de uma bela modelo de biquíni. O excesso de erotismo causou incômodo na Nova Zelândia, e o vídeo foi considerado muito libertino para a TV.
6. Motoristas
O site de serviços automotivos TrueCar.com estreou uma campanha que se afirmava como feminista. A estratégia era vender a marca como ajudante para mulheres, retratadas como inseguras e desinformadas quando o assunto é a compra de carros. O site ajudaria a dispensar a presença de um homem durante o processo. Mas todas as mulheres realmente não sabem comprar veículos? A recepção negativa mostrou que a ideia escolhida não foi muito feliz.
5. Quente
A campanha do macarrão instantâneo Pot Noodle foi batizada de “Peel the Top Off a Hottie”, frase ambígua que pode ser traduzida como “Tire o top de uma gostosa”. Não bastasse a abordagem, a execução do vídeo também foi criticada por sua infantilização e abuso de clichês.
4. Duas medidas
4
A mesma camisa, dois anúncios totalmente diferentes. A Ameican Apparel causou desconforto este ano quando o post de uma blogueira chamada Emelie Eriksson correu o mundo apontando as incríveis diferenças entre a versão masculina e feminina da mesma campanha. A marca defendeu-se, afirmando que não via discriminação.
3. Beleza
3
O anúncio da empresa de TI Acora mostra uma mulher obesa deitada na frente de um homem indeciso e a pouco feliz frase: “Algumas tarefas podem ser terceirizadas”. A ideia gerou, merecidamente, uma série de protestos. A companhia britânica voltou atrás no Twitter. “Pedimos desculpas a qualquer um que pode ter sido ofendido, e o anúncio já foi removido.”
2. Sequestro
2
Um anúncio no qual mulheres são sequestradas e ficam presas no porta-malas não parece ser a melhor maneira de promover um carro. Adicione a isso a presença do ex-primeiro ministro italiano Sílvio Berlusconi e as caricaturas de conhecidas amantes dele chorando. O resultado? Um grande escândalo internacional para a Ford, que justificou que a peça não foi autorizada.
1. Objetos
O varejista de eletrônicos RadioShack utilizou mulheres seminuas (e modelos masculinos completamente vestidos) para tentar deixar sua marca mais sexy. O comercial foi alvo de muitas críticas em blogs, veículos e comunidades feministas, que destacaram o uso de produtos fálicos e as cenas em que as modelos substituem móveis e objetos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário