quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Povos do campo: Debates e oficinas temáticas marcam segundo dia do Encontro Nacional

Nesta terça-feira (21) o segundo dia do Encontro Nacional Unitário dos Trabalhadores (as), Povos do Campo, da Águas e das Florestas, dirigentes sindicais realizaram um debate durante toda a manhã sobre os principais temas que envolvem o desenvolvimento sustentável do campo.
1500570673
Oficinas Temáticas
Em seguida começaram as oficinas temáticas, a oficina sobre direito e defesa da terra, do território, da água e luta pela reforma agrária, coordenada pelo MMC e CONAQ, que teve como expositores a vice-presidente e secretária de Relações Internacionais da Contag, Alessandra Lunas e representantes da Via Campesina, Apib e Conaq.
Já a oficina sobre Agroecologia, sustentabilidade, pesquisa e organização social e produtiva da agricultura familiar e camponesa foi coordenada pela secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Contag, Carmen Foro e um representante do MST, tendo como expositores assessores da Contag e do MAB.
Educação do Campo e Políticas Públicas para a agricultura familiar e camponesa foi o tema da terceira oficina coordenada pela Fetraf e MPA e que contou com os expositores Maria de Jesus (Via Campesina), Wender (MCP), Rosane (Fetraf) e José Wilson, secretário de Políticas Sociais da Contag. Sobre Soberania Energética quem falou foi Gilberto Cervinski, do MAB e Marcelo Leal, do MPA, coordenados pelo CIMI e Cáritas. A quinta oficina tratatou da Política de Alianças e fortalecimento das organizações sociais e das estratégias unificadas de luta e é coordenada pela Contag e pelo MST.
Durante todas as oficinas o clima de unidade dos diversos movimentos foi algo nítido. “Esse clima de unidade entre os trabalhadores do campo, água e floresta é fundamental, e a CTB apoia esse resgate da unidade do trabalhador em suas diversas formas de atuação”, declarou Carlos Rogério, secretário de Políticas Sociais da CTB.
Período da tarde
Continuando os trabalhos no período da tarde foi realizada a apresentação de uma adaptação da peça teatral Mutirão em Novo Sol, escrita em 1962 por um grupo de autores ligados aos Centros Populares de Cultura, entre os quais, Augusto Boal, encenada há cinquenta anos atrás durante o 1º Congresso Camponês (1961).
Ainda na tarde de hoje grupos formados por dirigentes de vários estados vão se reunir para discutir e identificar os principais desafios e potencialidades para articulação de ações e construção de um plano de lutas para o Estado.
As organizações sociais do campo que lutam pela reforma agrária e por um novo modelo de desenvolvimento para o país estão reunidas no Parque da cidade em Brasília, com cerca de sete mil delegados sindicais de todo o Brasil. Amanhã, no encerramento do encontro, acontece uma grande marcha coordenada pela Contag e Via Campesina.
Vídeo sobre a matéria:
Fonte texto: Portal CTB Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário