segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A “australiana” racista ganha habeas-corpus canguru. Pra ela não tem Sheherazade. Ainda bem, somos civilizados


A imprensa brasileira se compraz de ver um juiz negar prisão domiciliar para José Genoíno, mesmo este tendo graves problemas cardíacos.
É isso aí, Juiz tem que ser impiedoso, durão, implacável. 
Mas não li uma palavra de indignação, um comentarista “cult” protestando contra o que aconteceu em Brasília, com a soltura, quase que imediata, de uma mulher, de naturalidade australiana – mas naturalizada brasileira  Louise Stephany Garcia Gaunt-  que reiteradamente praticou crime de racismo, ao se recusar a ser atendida por uma manicure negra, mandou-se se retirar do ambiente e ainda ofendeu outra cliente, negra, e um policial – também negro – que  atendeu o caso.
Nem mesmo 24 horas a cidadã ficou presa, por um crime que é inafiançável.
Foi solta por um habeas-corpus, sobre o qual a imprensa nada diz, inclusive o nome do sr. Juiz que o concedeu.
Nenhum senhor Promotor Público apareceu protestando e recorrendo, em nome da sociedade, da decisão.
Não teve “Sheherazade” para dizer que seria “compreensível” se a negra Tassia, desencatada com a Justiça que “protege australiana bandidinha” tivessem acorrentado a mulher pelo pescoço a um poste e arrancado suas roupas, deixando-a para a polícia.
Porque Tassia, suas colegas e a dona do salão foram pessoas civilizadas, que fizeram o correto, enfrentar a ofensa e chamar a polícia, que cumpriu a lei e levou a racista à prisão.
Sua atitude é um exemplo de que a sociedade não é feita de bárbaros, diz a Barbie que fala que nosso país não é civilizado. Talvez a senhora Gaunt., que estudou na escola Americana de Brasília, é quem não seja. E olhe que ela é servidora pública, com o salário pago por todos, inclusive a negra Tassia.
Ninguém quer agredi-la ou linchá-la, mas que seja tratada com a lei. Nem que mofe na cadeia, mas que a imprensa ao menos apure e divulgue o que levou o juiz a soltá-la.
Temos uma lei, a lei Caó, que pune o crime e não permite o relaxamento da prisão por fiança e temos uma imensa maioria de pessoas que quer vê-la respeitada.
Maioria talvez não tão grande numa Justiça que funciona de maneira descaradamente discriminatória, que sai correndo para cuidar de gente “boa” como a D. Louise.
Gente tão boa que  destila ódio nas páginas dos sites da grande mídia, como você  pode ver vos comentários postados a respeito do vídeo, no site do Terra.
Fonte: O Tijolaço

Um comentário:

  1. Esta mulher australiana está sendo perseguido em benefício da política dos racistas elite Brasil que fizeram Brasil um país de escravos!

    " habitantes de lá [Australia] sofreram genocídio entre outras atrocidades"
    1988, Brasil - - genocídio - Massacre do Capacete (Ticunas)
    1993, Brasil - genocidio - Massacre de Haximu (Yanomami)
    2005 Brasil - genocidio das Rio Pardin indianos (Kawahiva)

    1830 Australia - Tasmania genocidio

    <1901 Australia - No próprio continente australiano durante o período colonial britânico (1788-1901), uma população de 500,000-750,000 aborígines australianos foi reduzida para menos de 50.000. A maioria foi devastada pela introdução de doenças exóticas após o contato com os europeus , embora, talvez, 20.000 foram mortos por massacres e combates com colonos

    Em 2011, havia 548.370 pessoas identificadas como sendo de aborígene.

    População da Austrália, que são descendentes diretos de escravidão na Austrália?: 0%

    População do Brasil, que são descendentes diretos de escravidão no Brasil?: 70%

    A Austrália é o segunda país mais multicultural do mundo.
    http://www.abc.net.au/news/2010-11-17/australia-second-most-multicultural-country/2339884 Os australianos que vêm aqui se queixam de que você está tão monocultural, seus restaurants são chatos porque é tudo comida brasileira / Africano. Melbourne Austrália é a cidade constantemente votado para ser um dos Top 5 restaurante-cidades do mundo porque temos imigrantes de tantos países diferentes. Problema com o Brasil é como ignorante todas as pessoas são.
    A Austrália tem 4 cidades constantemente votaram para estar no top 10 cidades mais habitáveis ​​"" do mundo, com o mais alto padrão de vida no mundo.
    Os australianos nunca quero viver no Brasil. É raro. Se um Ausralian se casou com uma brasileira,99% do tempo eles vão morar na Austrália juntos. O brasileiro/brasileira não quer viver no Brasil também.
    Homens australianos que visitam Brasil está cercado por cima Brasileiras que estão desesperados para sair Brasil e viver no paraíso multucultural chamado Austrália. A ironia desta grande ataque da mídia sobre essa Australiana na Brasilia é que o problema com o racismo no Brasil é o problema do Brasil não dos australianos. Eu vi seus elite e como eles vivem em São Paulo e Rio de Janeiro. Eles têm famílias de escravos negros que vivem em casas de escravos que trabalham para eles ainda para o dia de hoje e são pagos um salário que é igual a um escravo. Eles são tratados como escravos, eles são pagos como escravos, mas você tem uma lei que diz que é ilegal para realmente chamá-los de escravos.
    Ah, a ironia! Brasil é uma piada.

    ResponderExcluir